14 MESES…

Olá!

Desta vez eu não escrevi no dia 24, como faço todo mês desde a partida do Igor…

O motivo foi meio óbvio, estou em um momento muito íntimo e delicado comigo mesma, numa descoberta e aceitação tão necessária.

Parei de ficar brigando com a dor, de ficar tentando fazê-la ir embora, parei de afrontá-la… Abri as portas da minha alma para ela e disse: “Ok, você venceu, pode entrar e ficar a vontade…”

Foi a forma que encontrei para aprender a conhecê-la melhor, deixando ela chegar e se instalar, já que veio para ficar… Claro que a dor não vem sozinha, ela anda em grupo e trouxe amigos inseparáveis…

Sofrimento, solidão, saudade, culpa, medo, vazio, insegurança, desesperança e tristeza, muita tristeza…

Alguns desses “amigos da dor” não ficam o tempo todo. A culpa por exemplo só aparece de vez em quando  e a desesperança as vezes é expulsa pela esperança, mas elas se revezam com muita rapidez. Assim que abri as portas da minha vida para dor, descobri que ela se torna companheira inseparável e você só pode conviver com ela se permitir que ela ande ao seu lado enquanto você vive o dia a dia. E foi isso que eu fiz…

Mas esse processo é estranho e te faz ver que você faz parte de um mundo paralelo e que 99,9% do seu ciclo de amizade não pertence a ele, então você tem duas opções: Se torna uma pessoa insuportável que compara os mundos a todo instante, até por que não pode fugir… As crianças abraçam seus pais em todo lugar… Ou faz o possível para sobreviver escondendo sua dor e sorrindo por fora…

Eu escolhi a segunda opção, mas não sei se faço certo…

Considero um grande passo aceitar a dor, conviver com ela, mas descobri também que preciso me respeitar e quando se decide isso, não agradamos a todos… Enfim, definitivamente só poderá entender isso quem passa por esse processo, ninguém mais…

Eu ainda procuro um lugar para acomodar tudo isso dentro de mim, ainda luto contra imagens e sons que estão mais vivos do que nunca em minhas lembranças…

O processo é longo e  não estou nem no começo do caminho…

Um abraço muito forte  e meu agradecimento a todas as mães órfãs de seus filhos que entram em contato comigo, a toda minha família e amigos que não sabem, mas me carregam no colo, a DEUS e a meu amado marido, que divide comigo tão pesado fardo…

1 ano e 2 meses sem você Igor..

Te amo para sempre!

Mamãe Paula

@Hypnosemakes

Anúncios

Publicado em agosto 28, 2012, em Maquiagens. Adicione o link aos favoritos. 5 Comentários.

  1. Lindo como sempre amiga, isso mesmo faca o que você achar melhor para você. Deus nunca te desamparara mesmo as vezes achando que ele não esta do seu lado. Deus e onisciente, onipotente e onipresente simplesmente confie. Saudades bjos fiquem com Deus.

  2. Lembre-se sempre de que ele precisa da sua recuperação e o seu bebê que está chegando irá trazer-lhe muitas felicidades.
    Beijinhos.
    Malu

  3. Querida amiga! Paz, amor, esperança e fé sempre. Beijos

  4. Lucia Ribas (Plena / RJ)

    Querida Paula, a dor da saudade é eterna … feliz aquele que consegue seguir em frente … torço por você … que a saudade vá aos poucos se transformando em doces lembranças … lucia

  5. Oi , conheci seu blog essa semana atraves d uma amiga, muito triste oq te aconteceu, mais fico impressionada c a sua força, vc conseguir ir em frente, so kem perde um filho, e ainda bb pra entender, eu naum entendo msm, mais força, q Deus te ajude sempre.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: